Governo pode injetar R$ 1,4 Bi na Transnordestina

Governo Federal deverá aportar R$ 1,4 bilhão para concluir as obras da Ferrovia Transnordestina, que sofrem com um atraso de mais de dez anos; CSN, sócia privada do empreendimento, deverá injetar outros R$ 1,8 bilhão até 2021, quando os serviços estariam concluídos e em pleno funcionamento; governo assegurou que os recursos somente serão liberados se a empresa cumprir as exigências que foram impostas em 2016 pelo Tribunal de Contas da União (TCU), dentre elas a elaboração de um novo estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental (Evtea)

Pernambuco 247 – O Governo Federal deverá aportar R$ 1,4 bilhão para concluir as obras da Ferrovia Transnordestina, que sofrem com um atraso de mais de dez anos. A CSN, sócia privada do empreendimento, deverá injetar outros R$ 1,8 bilhão até 2021, quando os serviços estariam concluídos e em pleno funcionamento. O projeto com a nova proposta financeira foi apresentado pela Transnordestina Logística S/A, subsidiária ligada a CSN, nesta segunda-feira (6). O governo concordou com a proposta, mas disse que os aportes só serão feitos se a empresa cumprir as exigências que foram impostas em 2016 pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

Dentre as condições impostas pelo TCU está a elaboração de um novo estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental (Evtea). Até o momento, as obras da Transnordestina já consumiram cerca de 6,3 bilhões, sendo que mais de 80% do montante foi originário dos cofres públicos. Segundo o projeto apresentado pela empresa, os investimentos previstos para este exercício devem chegar a R$ 133,5. O governo, por sua vez aportaria igual valor, além de ressarcir a empresa em R$ 300 milhões por investimentos já feitos no projeto.

Posted in Notícias.